facebook instagram youtube whatsapp

Saúde Sexta-feira, 09 de Fevereiro de 2024, 10:18 - A | A

Sexta-feira, 09 de Fevereiro de 2024, 10h:18 - A | A

PROCEDIMENTO ESTÉTICO

Preenchimento labial: especialista alerta sobre cuidados necessários

Caso de influencer que perdeu o lábio superior após profissional aplicar PMMA alerta para riscos de procedimentos de harmonização facial

Débora Oliveira/Correio Braziliense
MQF

Um episódio recente de procedimento estético malsucedido viralizou nas redes sociais e gerou um alerta sobre o tema. Mariana Michelini, de 35 anos, perdeu o lábio superior após realizar harmonização facial com um produto com polimetilmetacrilato (PMMA), um produto regulamentado pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), mas que não é indicado de forma alguma para harmonizações faciais, podendo causar consequências como manchas, embolia pulmonar, inflamação, dor crônica e necrose.

Mariana acreditava ter realizado o procedimento com ácido hialurônico e descobriu o erro seis meses após a aplicação do produto, quando acordou com o rosto inchado e dolorido e descobriu que a substância injetada em seu rosto era, na verdade, PMMA.

A cirurgiã-dentista especialista em harmonização orofacial Danielle Albernaz explica que o produto em questão trata-se de uma substância plástica de caráter permanente. “Ele é autorizado para fins estéticos pela Anvisa, entretanto, sua composição pode causar reações inflamatórias, que podem levar a deformidades e necrose dos tecidos. A retirada deste material só pode ser realizada de forma cirúrgica e, por isso, não utilizo e não recomendo o seu uso em nenhuma circunstância”, esclarece a especialista.

Já o ácido hialurônico, material indicado para a realização de harmonização fácil, é uma substância reabsorvível, o que torna a sua utilização mais segura. “Por ser um componente natural do corpo, os riscos de alergia ou rejeição são praticamente inexistentes. Caso ocorra alguma complicação ou intercorrência, o mesmo pode ser degradado através de uma enzima chamada hialuronidase”, explica Danielle. A especialista ressalta, no entanto, que o ácido hialurônico é contraindicado em casos raros de alergia à substância e em pacientes que possuem doenças autoimunes, sendo importante fazer uma investigação prévia antes.

Continue lendo:

https://www.correiobraziliense.com.br/ciencia-e-saude/2024/02/6800210-preenchimento-labial-especialista-alerta-sobre-cuidados-necessarios.html

Comente esta notícia

Cuiabá MT, 14 de Julho de 2024