facebook instagram youtube whatsapp

Economia Segunda-feira, 18 de Março de 2024, 16:10 - A | A

Segunda-feira, 18 de Março de 2024, 16h:10 - A | A

INTERNET

Mulheres pagam mais caro nas compras on-line por causa de algoritmos

Programas automatizados aumentam preços de produtos para as mulheres, assim como escondem vagas de emprego para elas. Proposta em tramitação na Câmara quer criar regras para atacar a discriminação

Renato Souza/Correio Braziliense
MQF

Ao navegar nas redes sociais, em sites de compras e até em plataformas que oferecem vagas de empregos, as mulheres são apresentadas a espaços on-line com a mesma aparência dos endereços acessados pelos homens. Mas, de forma silenciosa, sem alarde, programas e regras adotados por empresas que atuam na web discriminam o gênero feminino, oferecem produtos mais caros para elas e ainda escondem vagas de emprego, afetando drasticamente a economia das brasileiras.

Um estudo realizado pela Escola Superior de Propaganda e Marketing (ESPM) revela que o problema ocorre no mundo off-line, ou seja, fora da internet, mas agora está presente também no comércio eletrônico. De acordo com a pesquisa, os produtos rosa ou com personagens femininos custam, em média, 12,3% a mais do que os outros para mulheres que compram em locais físicos no Brasil.

Na internet, muitas vezes, o preço menor está no celular ao lado, usado por um homem. Com base nos dados de navegação, como histórico de buscas, redes sociais, postagem de fotos e mensagens, além de e-mail logado no celular ou computador, as ferramentas de busca identificam se o usuário é homem ou mulher e alteram os preços.

Leia a matéria completa aqui:

https://www.correiobraziliense.com.br/economia/2024/03/6819823-mulheres-pagam-mais-caro-nas-compras-on-line-por-causa-de-algoritmos.html

Comente esta notícia

Cuiabá MT, 23 de Julho de 2024