facebook instagram youtube whatsapp

Opinião Sexta-feira, 15 de Dezembro de 2023, 15:05 - A | A

Sexta-feira, 15 de Dezembro de 2023, 15h:05 - A | A

Fellipe Valle

Protegendo os Pequenos Aventureiros: Dicas para um Verão Sem Traumas

Fellipe Valle
MQF

O período de férias escolares é aguardado com ansiedade por crianças e adolescentes, marcando um momento de diversão, liberdade e atividades recreativas. No entanto, junto com a alegria das férias, surge uma preocupação crescente sobre o aumento de traumas infantis durante esse período. O Que ocorre é um aumento expressivo no número de atividades ao ar livre, com crianças e adolescentes aproveitam para explorar rios, cachoeiras e se engajar em atividades recreativas, muitas vezes sem a supervisão constante dos pais ou responsáveis. Esse aumento na independência e na participação em atividades desafiadoras contribui para o aumento dos riscos de traumas infantis.

Riscos nas Atividades Aquáticas: As águas brasileiras oferecem cenários exuberantes, mas também escondem riscos significativos, especialmente para crianças. Mergulho em água rasa, uma prática comum, representa a quarta causa de lesão medular no Brasil. A Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia alerta para a frequência dessas lesões, muitas delas ocorrendo em rios e cachoeiras. A precaução ao entrar na água, evitando mergulhos impulsivos, torna-se crucial para prevenir acidentes graves.

Ciclismo e Traumas Associados: O ciclismo é uma atividade adorada por crianças, mas também está associado a uma variedade de traumas, desde escoriações até fraturas. O aumento do uso de bicicletas durante as férias implica uma atenção redobrada para garantir que os pequenos ciclistas estejam devidamente equipados com capacetes e outros dispositivos de segurança. Educar sobre regras de trânsito e locais seguros para pedalar contribui para minimizar os riscos.

Desafios da Patinação, Skate e Outros Esportes de Aventura: A patinação, o skate e outros esportes de aventura oferecem emoção, mas também acarretam riscos. Quedas podem resultar em lesões como fraturas, contusões e torções. Equipamentos de proteção, como joelheiras e capacetes, tornam-se aliados essenciais na prevenção de traumas. Além disso, é vital que os pais incentivem a prática segura, promovendo a consciência sobre os riscos associados a manobras arriscadas.

Dicas para Cuidado Redobrado:

Supervisão Constante: Crianças mais novas necessitam de supervisão constante, especialmente em ambientes aquáticos e durante atividades recreativas desafiadoras.

Instrução e Educação: Antes de participar de atividades, é crucial fornecer instruções sobre segurança e regras específicas de cada esporte.

Uso Adequado de Equipamentos de Proteção: Capacetes, joelheiras, cotoveleiras e outros equipamentos de proteção devem ser usados corretamente para reduzir o risco de lesões.

Conscientização sobre o Ambiente: Ensinar as crianças sobre os perigos específicos em ambientes aquáticos, como a avaliação da profundidade da água antes de mergulhar, contribui para a prevenção de acidentes.

As férias escolares oferecem oportunidades incríveis para as crianças explorarem, aprenderem e se divertirem. No entanto, é imperativo reconhecer os riscos associados a certas atividades e tomar medidas proativas para garantir um ambiente seguro. Desde atividades aquáticas em rios e cachoeiras até ciclismo, patinação e skate, os pais e responsáveis desempenham um papel crucial na promoção de um verão sem traumas infantis. A supervisão constante, a instrução adequada e o uso de equipamentos de proteção são elementos fundamentais para garantir que as férias sejam lembradas não pelos acidentes, mas pela diversão segura e inesquecível. Ao investir tempo e esforço na conscientização e na prevenção, podemos assegurar que as férias escolares sejam uma época de alegria e memórias positivas para todas as crianças.

 

Fellipe Valle é médico ortopedista e traumatologista, com especialização em cirurgia de ombro e cotovelo, cirurgia do joelho, especializando em medicina da dor e ortopedia regenerativa, além de idealizador do programa Descomplicando a Ortopedia. Ele é membro da diretoria da Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia - MT, da American Academy of Orthopaedic Surgeons e da AO Trauma Latin America. É sócio fundador da associação brasileira de ultrassonografia músculo esquelética, professor de medicina na Univag e da residência de ortopedia Unic-Hgu. E-mail: [email protected]. Instagram: @dr.fellipe.   

Comente esta notícia

Cuiabá MT, 25 de Maio de 2024