facebook instagram youtube whatsapp

Opinião Quarta-feira, 06 de Dezembro de 2023, 16:28 - A | A

Quarta-feira, 06 de Dezembro de 2023, 16h:28 - A | A

LUÍS CLÁUDIO

Vamos reduzir possível onda de calor em 2024

Luis Claudio
MQF

As chuvas chegaram agora em novembro com mais intensidade em Mato Grosso, mas Cuiabá com suas peculiaridades já conhecidas pelos brasileiros, será sempre uma cidade quente. Por tanto, os cuidados com o calor são os mesmos recomendados por especialistas, que na onda de calor enfrentada por todos, no último período de estiagem entre julho e outubro deste ano, certamente, vão se repetir no ano que vem.

Tomar água, se refrescar e quando puder, ir ao sol nos horários favoráveis à saúde do corpo e da mente. Se a onda de calor tiver passado, teremos períodos chuvosos até março de 2024, conforme as previsões meteorológicas, que amenizam as temperaturas na nossa capital calorosa e também calorenta.

Então o que aprendemos com o sufoco da onda de calor no inverno, outono e primavera, de 2023? Só cuidar do corpo e da mente? E do meio ambiente? Redobramos a atenção nos ciclos climáticos que temos vivido? Recentemente, promovi com membros da sociedade organizada e poder público municipal, uma audiência pública, em Cuiabá, para refletirmos justamente o quesito meio ambiente. Todos sabem que é ele que nos mantém vivos sobre o planeta terra.

Mas o que se registra a cada ano são maus tratos ao meio ambiente e, consequentemente, as respostas dele sobre as ações desastrosas sobre todos humanos, que ainda não respeitam a natureza que engloba diversos benefícios à vida na terra.

Começando pelos poderes públicos e a sociedade civil, devemos nos empenhar por ações racionais sobre o meio ambiente, todo o tempo, desde o menor gesto, ao mais repudiante e degradador para não ficarmos somente na retórica de defesa ambiental, quando somos atingidos pelos fenômenos naturais, como as queimadas e as enchentes, das quais somos alertados frequentemente, de que, somos os únicos responsáveis por esses acontecimentos.

É sabido que a maioria realiza ou participa de projetos de prevenção aos incêndios ambientais e, com isso, contribuem para a redução das altas temperaturas no estado de Mato Grosso e Cuiabá, especificamente. Além disso, a preparação das cidades mato-grossenses para eventuais fenômenos é fundamental para a diminuição da onda de calor que ocorrerá no próximo ano, caso as poucas ações não se efetivem.

As publicações de estudos científicos mostram que o excesso de calor é ocasionado, sobretudo, pela deterioração da camada de ozônio, que sofre com os gases geradores pelo efeito estufa, entre eles o dióxido de carbono, o metano e o óxido nitroso.

Combater o calor desde já, deve começar com projetos e planejamento para o uso de materiais, que absorvem menos calor desde a pavimentação do asfalto, as edificações de imóveis, como os prédios, criação de ruas e avenidas. Cuiabá está se expandindo a cada ano com respeito ao meio ambiente, mas ainda assim, há necessidade de iniciativas para o resfriamento da cidade, dando maior conforto para a população, que no período de estiagem chega a viver com índices de umidade abaixo do recomendado de 65% para a vida humana.

Isso devido aos impactos das queimadas anuais que aumentam o calor na área urbana. Precisamos avançar cada vez mais no plantio de árvores, deixando as ruas arborizadas, conscientizar as pessoas para evitar as queimadas urbanas e rurais, e promover debates para a qualidade de vida nesse período. A onda de calor afeta a saúde humana com risco de morte e no período de três anos, as temperaturas só aumentaram no estado chegando aos incríveis 44 graus.

Temos que nos antecipar aos próximos desafios de possíveis ondas de calor que possam nos atingir em 2024. Precisamos reconquistar o título de cidade verde.

 

Luís Cláudio é vereador em Cuiabá.

Comente esta notícia

Cuiabá MT, 14 de Julho de 2024