facebook instagram youtube whatsapp

Política Quarta-feira, 25 de Outubro de 2023, 14:56 - A | A

Quarta-feira, 25 de Outubro de 2023, 14h:56 - A | A

"cortina de fumaça"

Vereador Dilemário rotula CPI contra a Intervenção de "Placebo"

Assessoria
MQF

O vereador Dilemário Alencar (Podemos) usou a tribuna da Câmara Municipal, nesta terça-feira (24). para proferir fala contundente contra a Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) que foi instalada para investigar atos da equipe de intervenção na secretaria municipal de saúde. A CPI é comandada por vereadores da base do prefeito Emanuel Pinheiro (MDB), 

  

“Essa CPI tem que ser chamada de placebo, pois é inócua, ou seja, sem eficácia. Tem somente o objetivo de ser uma verdadeira cortina de fumaça para tentar atrapalhar os trabalhos da equipe da intervenção que vem recuperando a saúde de Cuiabá do caos deixado pela gestão do atual prefeito”, disse Dilemário. 

 

Placebo é uma substância inócua, cuja ação não produz qualquer cura,  mas quando associada a fatores psicológicos, acaba produzindo efeitos de melhoria clínica em alguns indivíduos, por consequência da crença do paciente de que o tratamento inócuo aplicado a ele será eficaz.  

 

“Na época que a saúde estava uma calamidade, onde faltava até dipirona e ocorrendo diversas operações policiais, os vereadores que hoje defendem a CPI Placebo, ficaram quietos e não propuseram nenhuma fiscalização para apurar o caos e os graves casos de corrupção. Se a intenção fosse realmente fiscalizar a gestão da saúde, medidas deveriam ter sido tomadas naquela época”, pontuou Dilemário. 

 

Durante seu pronunciamento, Dilemário voltou a defender que a intervenção foi uma medida necessária e que os indicadores de saúde no município melhoraram significativamente desde a sua implementação. Ele destacou que Cuiabá não pode mais se dar ao luxo de perder tempo e recursos em investigações que, segundo sua visão, não trarão benefícios para a população. 

 

“Essa CPI, além de se caracterizar como um placebo, também é natimorta, pois o objeto dela certamente será contestado pelos órgãos fiscalizadores, pois os atos da intervenção vem sendo acompanhado pelo Tribunal de Contas e Ministério Público”, concluiu o vereador Dilemário. 

Comente esta notícia

Cuiabá MT, 25 de Maio de 2024