facebook instagram youtube whatsapp

Economia Terça-feira, 31 de Outubro de 2023, 16:39 - A | A

Terça-feira, 31 de Outubro de 2023, 16h:39 - A | A

DÍVIDAS

5 em cada 10 endividados acreditam ter o nome limpo até o fim do ano

Pesquisa da Confederação Nacional da Indústria mostra ainda que 81% dos brasileiros endividados aprovam o programa Desenrola Brasil

Correio Braziliense
MQF

Mais da metade dos brasileiros endividados, ou 56%, acreditam que quitarão as dívidas ou limparão o nome ainda neste ano. É o que mostra uma pesquisa da Confederação Nacional da Indústria (CNI). O programa Desenrola Brasil teve a aderência de 61% dos entrevistados e aprovação de 81%.

 

O levantamento mostra que a expectativa de sair do vermelho é maior entre os homens (51%), na sua maioria adultos entre 41 e 60 anos (60%), com ensino fundamental (61%) e com renda familiar entre dois e cinco salários mínimos (62%). Os dados foram levantados pelo (IPRI) da FSB Holding.

 

O otimismo do brasileiro sobre a melhora da economia nos próximos seis meses também aumentou: 53% dos entrevistados com mais de 16 anos aprovam o cenário atual, 22% acreditam que os próximos meses serão mais difíceis e 21%, que a situação será a mesma.

De acordo com o especialista Fernando Lamounier, educador financeiro e diretor da Multimarcas Consórcios, “o aumento das expectativas deve-se ao recuo da inflação, que garante o poder de compra do brasilero diante do cenário atual do país, além das reformas econômicas e perspectivas de crescimento do PIB”.

 

No recorte por região, os nordestinos são os mais otimistas, 32% afirmam que o desempenho da economia está ótimo ou bom e 30%, ruim ou péssima. No sudeste, 20% marcaram como ótimo ou bom, já os que consideram ruim ou péssimo são 39%. O Sul tem a pior percepção do mercado, 18% apenas consideram bom ou ótimo e 43% afirmam que a situação piorou.

 

Apesar da avaliação menos positiva sobre o momento atual da economia, 45% da população consideram que a situação já foi pior. E, entre os que consideram a situação da economia atual como ruim ou péssima, 17% avaliam que ela está melhor do que no primeiro trimestre.

 

Cautela

O cenário econômico nos próximos meses tende a aquecer com duas das datas comerciais mais importantes do calendário: a Black Friday (última sexta-feira de novembro) e o Natal. Lamounier explica que, mesmo com o setor aquecido, os brasileiros devem se conter e não realizar compras desnecessárias, já que, em janeiro do próximo ano, os impostos (IPTU, IPVA) e matrículas escolares vêm com reajustes.

“É necessário um planejamento anual para conseguir aproveitar as datas sem entrar no vermelho. Com ele é possível organizar suas despesas com antecedência, fazendo uma reserva emergencial para os meses com maior volume de gastos”, finaliza o especialista.

Comente esta notícia

Cuiabá MT, 22 de Maio de 2024