facebook instagram youtube whatsapp

Geral Terça-feira, 17 de Outubro de 2023, 10:55 - A | A

Terça-feira, 17 de Outubro de 2023, 10h:55 - A | A

Hamas x Israel

Celeste Fishbein, filha e neta de brasileiros desaparecida após ataques é encontrada morta

Jovem de 18 anos era babá e trabalhava em um kibutz – pequena comunidade rural. Ela não estava com familiares quando começaram os ataques do Hamas a Israel, mas chegou a dar notícias.

TV Globo
MQF

Celeste Fishbein, filha e neta de brasileiros que morava em Israel e havia sido sequestrada pelo Hamas, foi encontrada morta, segundo afirmou seu tio nesta terça-feira (17). Ela tinha 18 anos.

"(O exército israelense) avisou a gente que a (minha) sobrinha foi assassinada. Encontraram o corpo dela", disse Mario Fishbein, tio de Celeste.

Após a confirmação da morte, a família divulgou um vídeo para homenagear Celeste.

Os familiares estavam à procura dela desde 7 de outubro, quando ela parou de dar notícias, após o atentado do grupo extremista Hamas ao território israelense.

Segundo Mario, representantes do exército israelense foram até a casa da família dar a notícia, mas não informaram outros detalhes, como quando e onde o corpo foi encontrado, nem as circunstâncias em que ela morreu — a família espera que o corpo de Celeste seja liberado nesta terça ou na quarta-feira (18).

"Encontraram o corpo da Celeste e foi reconhecido pessoalmente. Ainda não sabemos como vai ser o enterro. Ela saiu daquele bunker onde estava, saiu com vida e entre o bunker e gaza o corpo dela foi encontrado, portanto ela foi assassinada pelo caminho", disse ele em entrevista à GloboNews.

Inicialmente, nos dias anteriores, o exército israelense havia informado à família que a jovem foi feita refém em Gaza.

Vítima de terroristas

Celeste foi mais uma vítima de rebeldes do grupo terrorista que invadiram várias casas e levaram cerca de 120 pessoas. Celeste não conseguiu escapar do grupo armado.

Os familiares da jovem tiveram mais sorte. Quando as sirenes soaram, eles, que estavam na casa da avó promovendo uma cerimônia religiosa, foram para um abrigo. E a partir desse momento trocaram mensagens com ela em um grupo da família. Do abrigo, conseguiram ver várias residências sendo invadidas e destruídas

Inicialmente, Celeste, que estava em casa com o namorado, estava respondendo às mensagens do grupo. Ela, inclusive, quem deu o alerta de que os terroristas estavam disfarçados e invadindo as casas, depois de dizer que estava bem.

 “Terroristas do Hamas disfarçados de soldados do exército de Israel estão batendo nas portas. Favor não abrir as portas. Protejam suas vidas. Compartilhem”, disse a mensagem.

A família Fishbein perdeu contato depois do início dos ataques terroristas, que obrigaram todos os moradores das comunidades rurais a se abrigar dentro de bunkers de proteção, uma espécie de abrigo antibombas.

 “Celeste ficou com o namorado em Gaza. Eles deixaram de responder as mensagem de celular às 11 horas. E ninguém tem mais notícias”, contou o tio.

Família de judeus brasileiros

 

Celeste era de uma família de judeus brasileiros que vive em Israel. Ela era babá e trabalhava em um kibutz – pequena comunidade rural – perto da Faixa de Gaza.

A mãe e as avós da jovem, nascidas em Guaratinguetá, no interior de São Paulo, viviam em outro kibutz na região de Gaza, depois de terem saído do Bom Retiro, na capital paulista, rumo ao Estado de Israel.

Morreu outro filho de brasileiro

 

O israelense Gavriel Yishay Barel, de 22 anos, filho do brasileiro Jayro Varella Filho, morreu no domingo (15) em função dos ataques do Hamas no sul de Israel. A informação havia sido confirmada pela embaixada brasileira em Israel para a colunista Andréia Sadi.

De acordo com um familiar, Gavriel estava na festa rave Universo Paralello durante o ataque do Hamas, no sábado (7), quando desapareceu.

A família era formada por cinco filhos: Uriel, Abraham e Guittit (gêmeos), Gavriel e Yudah, o caçula. Eles viveram brevemente ao Brasil, quando eram crianças. Gavriel morava com a mãe, em Ashkelon, cidade a menos de 15km da Faixa de Gaza.

Vítimas brasileiras

 

O governo federal confirmou, até o momento, a morte de três brasileiros em Israel. Todos eles também estavam na festa rave.

Os três brasileiros viviam em Israel há alguns anos, sendo que os dois últimos tinham cidadania israelense:

Diversos brasileiros estavam no festival de música eletrônica Universo Paralello, atacado no sábado (7) pelo grupo extremista armado Hamas. O ataque deixou mais de 260 mortos apenas na festa.

Comente esta notícia

Cuiabá MT, 19 de Maio de 2024